Translate

domingo, abril 27, 2014

Inspiration - O que mudou no mundo da moda com o 25 de Abril de 1974?

O modo como nos vestimos é uma das muitas formas que o ser humano tem de se exprimir. É uma afirmação. São formas de transmitirmos ideias, convicções, modos de estar, de viver e de ser. 

Assim sendo, poderá a moda relacionar-se com os acontecimentos políticos de cada época?


Antes da revolução, "estar na moda" não era para todos e poderia até ser considerado uma tarefa árdua. O conservadorismo era o ponto assente na sociedade o que tornava tudo muito monocórdico, homogéneo e sisudo. O branco, preto, azul e cinzento eram os tons preferidos com decote inexistente, saias ao nível do joelho, sem maquilhagem ou saltos muito altos. 
As costureiras, modistas e os alfaiates tentavam (de forma contida) reproduzir looks inspirados nas revistas parisienses conseguidas quase que de uma forma secreta. E isto, não era para todas as mulheres... 


Segundo o Estado Novo, o que se segue era sinónimo de elegância.

Revista " Menina e Moça" da Mocidade Feminina Portuguesa

Revista " Menina e Moça", Maio de 1969, Mocidade Feminina Portuguesa

Enquanto isso, as revistas internacionais tinham uma visão diferente. Vivia-se o boom das minisaias, das estampas, dos acessórios, das cores, da maquilhagem, do Rock&Roll, dos Beatles e de Elvis Presley.


(As diferenças são óbvias!)

Vogue Paris September 1967 "Robes Noctambules" Model: Jill Kennington Photographer: Bob Richardson
Vogue Paris Setembro de1967


UK Vogue 1967
Vogue UK 1967
Verushcka by Rubartelli for French Vogue, 1969
Vogue Paris 1969
E já se faziam capas assim:


Em 1974, António Oliveira Salazar dizia que "o Estado Novo não cairia nem a votos nem a tiros". Caiu com Cravos!


Hoje, 40 anos depois tudo mudou!
E as palavras de Coco Chanel nunca fizeram tanto sentido como agora!


"In order to be irreplaceable, one must always be different."

Coco Chanel


Verdade?

With Love, Ana Rosina

Sem comentários :

Enviar um comentário

Pin It button on image hover