Translate

25 de novembro de 2013

Inspiration - " O sobe e desce "

"Fiquei um tempo afastada de tudo e todos, pois precisava encontrar-me. Acabei perdida dentro de mim. Já passaste por isso? Bom, eu vou dizer-te com toda sinceridade: é a coisa mais estranha do mundo. Nunca vi alguém se perder em si mesmo. Mas comigo não acontecem coisas simples, se é que me entendes. Tudo o que é complicado chega até meu endereço e ao meu coração...

No meio de tanta confusão pude perceber que precisar dos outros é fundamental e não tem nada de errado nisso. Não és mais ou menos forte porque precisas apertar no pause e retroceder o pensamento. Muitas vezes, inclusive, é importante dar um passo para trás para conseguir dar continuidade ao objectivo. Mas não vim aqui encher os teus ouvidos com esta história de caminho, parada ou coisa parecida. Quero falar-te de um assunto simples e ao mesmo tempo difícil: o auto-conhecimento. 

Hoje em dia ninguém tem muita disposição, vontade ou coragem para mergulhar profundamente dentro de si mesmo. É trabalhoso, espinhoso, horroroso. E muito enriquecedor. Assusta um pouco, mas liberta muito. Eu passei algum tempo evitando esse momento, esse confronto, essa perda. Porque a gente perde, sim, um bocadinho (ou muitos) quando resolve se encarar para valer. Mas o ganho é infinitamente maior. É claro que dói. E eu confesso-te que usei e abusei dos meus mais variados escudos para evitar esse dia, mas ele chegou. Confesso que veio um pouco forçado, mas foi necessário para que eu entendesse finalmente que não sou invencível. É isso mesmo, mundo: não estou com essa bola toda. Eu falho, não consigo dar conta de tudo, tem vezes que acho que não vou aguentar, piso feio, erro a valer. E não consigo muitas vezes lidar com meus sentimentos, sonhos, anseios. Não consigo lidar com minha felicidade. Pode? Sim, pode. 

Eu tenho umas culpas loucas cravadas na minha pele, muitas coisas não digeridas e, por favor, não me perguntes que coisas são essas porque eu simplesmente não sei. Sabes como é o "não saber"? É, nós temos a consciência que existe algo que incomoda mas não temos a capacidade de definir o que é aquilo. Só que eu resolvi perdoar-me do que eu nem sei direito. Também resolvi pedir desculpa a todos os que já magoei um dia, consciente ou inconscientemente. É que fazemos tanta porcaria que nem percebemos. Então, se eu fiz-te alguma coisa: desculpa. Eu realmente não sou uma pessoa má, mas estou longe de ser perfeita e certinha. Na verdade eu só quero paz para a minha consciência, para ti, para todos. Já temos que fazer tantas coisas, passar por tantos apertos, provações e tentações que é o momento certo de relaxar os ombros, se auto-abraçar e dizer desculpa. Aquela desculpa vinda do fundo do coração. 

Porque a vida, meu amigo, precisa ficar mais leve!"


Clarissa Corrêa



With Love, ***

Sem comentários :

Enviar um comentário

Pin It button on image hover