Translate

2 de outubro de 2014

Inspiration - Onde estão nossos super poderes?

Ando a tentar descobrir onde andam os meus super poderes. E tu? Sabes onde andam os teus?...


"E tu, quando é que te sentes poderosa? Conheço mulheres que são um exemplo de força. Venceram doenças graves, conseguiram dar a volta por cima depois de muito sofrimento. Passaram por períodos difíceis e conseguiram superar a perda, a falta, a falha. Existem, ainda, as mulheres que lutam contra elas mesmas, diariamente. São as pequenas batalhas diárias, que ganhamos e perdemos sem ninguém saber, sem troféu, sem medalha, sem nada. 
Eu não sinto como tu. A minha capacidade de superar, por exemplo, é diferente da tua. Temos tudo diferente: criação, vida, história, personalidade, valores, infância, família, defeitos, manias, visões... Por isso, jamais posso julgar ou tentar imaginar como reagirias diante de determinada situação. Muitas vezes, por imprudência, acabamos por julgar o outro: 
-"Ah, a fulaninha tem tudo na vida, é bonita, vive confortavelmente, pode ter a carreira que quiser, o homem que quiser, não sei porque motivo inventa  depressão." 
Não, ela não inventa nada. Sim, ela tem “tudo”. Mas o que é esse “tudo”? Beleza, dinheiro, carreira, amor. Nada disso mantém uma pessoa em pé. O amor ajuda, sim!... E muito. Mas antes de amar alguém precisas de estar com o coração saudável, senão não consegues dar e receber nada, a troca fica prejudicada. Nada preenche os nossos vazios mais profundos. Então, tomo sempre muito cuidado ao dar opinião na vida de outra pessoa. Não sei o que ela já viveu, sofreu, passou. Não sei com o que ela teve que lutar, do que ela teve que fugir. Porque sempre fugimos de algo. Há quem fuja, inclusive, de si mesmo.
Então eu pergunto: o que é ser forte? Para algumas mulheres, ser forte é ter conseguido superar a perda de um filho, de um pai, de uma mãe. Para outras, ser forte é ter conseguido vencer mais uma etapa da quimioterapia. Para algumas mulheres, ser forte é ter ido ao ginágio todos os dias da semana. Para outras, é conseguir olhar para a imagem reflectida no espelho, olhando para cicatrizes visíveis e dolorosas da vida.
Tu, assim como eu, já deves ter ouvido que o nosso fardo nunca é maior do que podemos carregar. Se acredito nisso? Não sei, mas é uma hipótese... Precisamos acreditar em alguma coisa, é uma forma de consolo e de carinho. O que sei é que na hora do aperto descobrimos forças que jamais imaginávamos ter. E isso mostra-nos que a capacidade de vencer existe, sim. Só precisamos não desistir.
Eu sinto-me poderosa e forte quando deito a cabeça na almofada e consigo dormir com a consciência limpa, sabendo que tentei fazer o melhor que pude, ainda que não tenha sido o suficiente..."

in "Confusões e Confissões"

With Love, Ana Rosina

Sem comentários :

Enviar um comentário

Pin It button on image hover